Feeds RSS
Feeds RSS

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Soneto


"Alma minha gentil, que te partiste
tão cedo desta vida, descontente,
repousa lá no céu eternamente
e viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo onde subiste,
memória desta vida se consente,
não te esqueças daquele amor ardente
que já nos olhos meus tãp puor viste.

E se vires que pode merecer-te
alguma coisa a dor que me ficou
da mágoa sem remédio de perder-te

Roga a Deus, que teus anos encurtou,
que tão cedo de cá me leve a ver-te
quão cedo de meus olhos de te levou"


(Luiz Vaz de Camões)

3 comentários:

♥MáH♥ disse...

Excelente escolha *-*
O Soneto é lindo.
Perua, não some desse jeito da blogsfera não.. rsrsrsr
=*

Sonhadora disse...

Minha querida

Um lindo poema...Camões, uma escolha linda.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Cízz disse...

Luiz Vaz de Camões, que delicia!
Adoro os sonetos das aulas de literatura!
Boa quarta!
:3

Postar um comentário

Simples Assim...

É bem simples queridos.. diria bem Simples Assim
... SE gostou... Volte sempre..

Grande beijooo


Lorah Cláus